sábado, 12 de novembro de 2016

Despreocupe-se

Olá Pessoas!! Não sei quem foi o infeliz que criou o ditado "Mente vazia, oficina do diabo", mas com certeza este indivíduo não tinha a menor noção do que estava dizendo. Devia ser uma pessoa que tinha uma mente muito inquieta e, consequentemente, perturbada.
Mente vazia é sinal de paz de espírito, de tranquilidade. Uma mente vazia está em estado de contemplação, está em estado de puro contentamento, pois se libertou das preocupações. Veja o exemplo de um bebê. Quando nascemos nossa mente é um papel em branco que será preenchido com o passar do tempo, por isso as crianças são tão felizes: elas não têm preocupações. Elas vivem o agora.
A nossa mente é muito inquieta e está todo o tempo pensando no passado ou no futuro nos fazendo sofrer de depressão (quando está presa ao que já passou) ou de ansiedade (quando sente medo do que está por vir). Silenciar a mente é se concentrar no presente, é acalmá-la, tranquilizá-la. Dominá-la. Isso nos livra das angústias que, muitas vezes, ela nos causa e nos fixa no agora, que é a maior dádiva que Deus nos deu e, justamente por isso se chama Presente.
Quando aquietamos nossa mente podemos escutar a melodia por trás de uma canção, podemos ver a beleza e a magnitude que há nas pequenas coisas da vida e, sobretudo, nos tornamos mais concentrados e criativos. Nos tornamos mais vivos e, consequentemente, mais felizes, porque a felicidade é real - esta é a nossa essência, o sofrimento, a tristeza e as desilusões são criadas a partir das nossas preocupações. 
Pare para pensar: estamos sempre preocupados com o que vamos ter ou com o que jamais iremos conseguir que não usufruímos o que temos e, quando o fazemos, não o fazemos plenamente , pois estamos preocupados na preservação.
Hoje uma amiga me disse que está deixando de aproveitar a vida, pois apesar de ter batalhado e conseguido, a muito custo, uma situação financeira muito boa, está deixando de fazer coisas que gostaria muito por medos infundados, causados por traumas do passado dos quais ela não conseguiu se livrar, pois sua mente está lá, presa nos acontecimentos ruins pelos quais ela passou, aliás não conseguiu passar; Já fez tratamento com psicólogos, mas invariavelmente o problema volta, porque é tratada a consequência, não a causa. O medo continua lá e vez ou outra, ele volta. Coincidentemente, sábado passado, recebi a visita de uma outra amiga de 23 anos linda de viver, a quem amo de paixão, que sofre por ansiedade - está terminando a faculdade e, morre de medo do que a espera. Ela está sofrendo tanto que perdeu vários quilos e chora do nada. Inclusive, chorou várias vezes durante nossa conversa.
Precisamos urgentemente nos voltar para o agora. E isso só é possível quando pararmos de ouvir os diabinhos interiores. Silenciá-los. Mandá-los calar a boca e enfiar a maldita língua no... deixa pra lá!
Me responda com sinceridade: Quanto tempo faz que você não escuta o canto de um pássaro? Quanto tempo faz que não para  para admirar a beleza de uma praça ou de jardim pelo qual você passa todos os dias? Quanto tempo faz que você sentiu, de verdade, o sabor e a textura dos alimentos? Precisamos parar de viver mecanicamente. Precisamos sentir o hoje e vivê-lo intensamente. Sentindo a vida ao invés de deixá-la passar por nós. 
Uma vez alguém disse que isso não é um treino, a estreia começou há muito tempo. Entretanto estamos sempre esperando, como se a nossa estreia fosse sempre adiada. O espetáculo, meu amigo, começou no exato momento em que você saiu do ventre da sua mãe e, desde aquele momento, não houve um único minuto de intervalo - sinto em lhe dizer. Nos preocupamos tanto com o tempo que esquecemos de senti-lo; muitos de nós envelhecem e não se dão conta disso.
Se eu pudesse lhe dar um conselho neste exato momento eu diria: "Sinta o mundo a sua volta e busque viver o agora, porque o hoje é o que temos. Domine por um minuto a sua mente e se despreocupe. Você verá que a vida é muito mais leve do que você pensa". 
Viva o agora!




Nenhum comentário:

Postar um comentário