quarta-feira, 5 de agosto de 2015

As Redes Sociais e A Justiça Pelas Próprias Mãos

Mahatma Gandhi disse certa vez "de olho por olho e de dente por dente o mundo acabará cego e sem dentes". 
Impressionante como uma frase dita há tanto tempo atrás faz cada vez mais sentido nos dias atuais. O tempo passa e o ser humano vivencia uma involução sem precedentes. O pior é que com o avanço das tecnologias encontramos meios de regredir mais e mais, porque existem pessoas que utilizam das redes sociais para compartilhar boatos, difamar pessoas e promover a violência. Quem não se lembra do caso da mãe de família brutalmente assassinada a pauladas no Guarujá por um boato e um retrato falado divulgados em um blog daquela cidade?! E o vídeo foi compartilhado sei lá quantas mil vezes. E a autópsia do cantor sertanejo morto no acidente de automóvel em junho deste ano? A que ponto chegamos?  
Antes de postar ou compartilhar algo tenha a curiosidade de pesquisar, se informar e verificar a fonte e, sobretudo ponderar o quê de bom o vídeo ou mensagem trará a quem recebê-la. Canso de receber textos e mensagens atribuídas a tal escritor e ver que não são verdadeiros. Muitas pessoas postam fotos de pessoas desaparecidas sem sequer se dar ao trabalho de verificar a autenticidade. Dias atrás me enviaram a foto de uma criança em alguns grupos de whatsapp. O incrível é que em cada postagem a criança tinha sido encontrada em um posto de gasolina em cidades diferentes. 
Recebo também fotos de "supostos" estupradores, ladrões, assassinos e pedófilos foragidos da justiça. Apago e nunca compartilho. Alguma louca pode levar um chute no rabo e postar uma foto do ex como se fosse um bandido. Até provar o equívoco o coitado terá uma grande dor de cabeça. Vai saber a que ponto chega a maldade do ser humano...
Sem falar nos vídeos de bandidos assassinados em assaltos ou perseguição policial. E o que dizer de linchamentos tão aplaudidos por uma população que acredita na "justiça pelas próprias mãos" e se deliciam ao ver jovens sendo espancados até a morte pelo povo exaltado?
Eu sei o quanto é difícil viver em um país tão violento e desigual como o Brasil. Sei de como funciona a nossa justiça e, o quanto dói quando somos vítimas da violência. Eu mesma já fui vítima de assalto e também já tive um tio brutalmente assassinado. Houve um tempo em que pensei erroneamente que "bandido bom era bandido morto", mas a minha criação, a minha profissão e, sobretudo, a minha formação me fizeram ver que não é assim. Ninguém nasce bandido, condições sócio econômicas e sócio culturais é que faz com que determinadas pessoas adentre pelo mundo da marginalidade. Violência só gera violência e não devemos compartilhar com ela.
Vamos compartilhar cultura, amor, bobagens (por que não?), amenidades, piadas, enfim coisas que façam bem a quem envia e, principalmente a quem recebe. 
E, se realmente quiser fazer justiça de fato e de verdade, cobre das autoridades competentes, organize abaixo assinados. Existem meios da sociedade civil fazer modificações ou criar novas leis, chama-se Iniciativa Popular, previsto na Lei 9.709 de 18 de Novembro de 1998. 






Nenhum comentário:

Postar um comentário