segunda-feira, 23 de junho de 2014

A FIFA e os Invisíveis do Pelô

Olá Pessoas!!! Jurei para mim mesma que não escreveria uma única linha acerca da Copa do Mundo que está acontecendo no nosso país, mas feliz ou infelizmente nos colocamos no meio das coisas e, visto que o blog é um diário, seria impossível não falar sobre o que vejo e, sobretudo sobre o que vivencio:
Fui passar o final de semana em Salvador e resolvi dar um passeio no Pelourinho. Gentem!!! O Pelô está um luxo que só!!! Deu gosto de ver: Limpo, organizado e, devido aos festejos juninos, estava com uma ornamentação danada de bonita e vários shows bacanas pra caramba, sem falar  na segurança que estava nota mil. Fiquei bestificada, abestalhada como se diz aqui na minha terra, mas depois do espanto, algo chamou a minha atenção: "onde se enfiaram os mendigos dali?" ( ou melhor: onde foram enfiados? ). Não vi uma única pessoa em situação de rua no centro histórico de Salvador. Onde a FIFA enfiou os pobres coitados?
Todos sabemos que pessoas em situação de rua, sejam mendigos ou usuários de crack são invisíveis para a sociedade, mas sumir com eles numa espécie de faxina social é um absurdo... Eu já tinha cantado esta pedra aqui no blog o ano passado, porém vendo a coisa de perto, chega a ser nojento... É como enfiar a sujeira debaixo do tapete para que a visita não veja o quão suja é nossa casa. Mas tratar seres humanos como lixo é desumano. O pior é que como vivem à margem da sociedade, ninguém quer saber nem por onde andam ou o que de fato aconteceu com eles. E, não me espanto, se a imensa maioria achar até bom se este sumiço for para sempre. 
Eu queria um dia poder ver não só o Pelourinho, mas também todas as ruas do meu país sem pedintes, mendigos ou usuários de crack, mas gostaria de saber que eles não fazem mais parte da paisagem , porque o poder público conseguiu lhes dar moradia, emprego e dignidade e, não pelo simples fato de ter de escondê-los dos olhos dos cidadãos do mundo que passeiam por nossas cidades sedes em época de Copa. 
Esta é a Copa das desigualdades, basta dar uma volta próximo ao Itaquerão para saber do que estou falando. Somos um país desigual e, esconder isso do mundo, não resolverá nossos problemas. 
Não sou contra nem a favor de uma Copa no Brasil, sinceramente não tenho uma opinião formada, não levanto nenhuma bandeira na qual não acredite de verdade, mas eu precisava falar sobre o que vi em Salvador, porque o que vi lá mexeu comigo e, creio que muitos soteropolitanos, baianos ou até mesmo turistas que conheciam o Pelô também devem ter se perguntado "onde foram parar os invisíveis do Pelô ".


Nenhum comentário:

Postar um comentário