terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

A Igreja e a América

Olá Pessoas!!! Lembram que falei que acordei com a moléstia, virada no raio da silibrina de cabeça pra baixo??? Já descasquei o abacaxi nos imbecis do Face, agora vou descer o sarrafo na toda poderosa Igreja Católica Apostólica Romana.
Antes de começar o post em si, quero deixar bem claro que nasci numa família católica praticante, mas defendo toda e qualquer seita e religião e, afirmo em alto e bom som que religião é muito mais uma questão de cultura e geografia que propriamente de fé, pois se tivesse nascido no Afeganistão certamente seria muçulmana e no Japão   budista e , assim sucessivamente.
Ontem a maioria dos católicos ficou atônita com a renúncia do Papa. E eu não venho aqui discutir as razões, se realmente foram políticas - como afirmam alguns, ou meramente de saúde, como explicou o próprio. 
O que venho colocar aqui em questão é algo que chega a ser bizarro. Vejam bem. Dizem que o Brasil é o maior país católico do mundo e, no entanto temos apenas um único santo brasileiro, Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, nosso tão amado Frei Galvão. Madre Paulina não conta, pois ela nasceu em Trento na Itália e só pisou em solo brasileiro aos 10 anos de idade. 
Falei com o ex que   é boliviano e por lá não existe um único santo, apesar de ser um país católico, ou seja, o problema não é só conosco.
Não pesquisei toda a América, mas acredito que a situação é bem semelhante em todos os países. Não somos um povo santo, ou pelo menos não somos reconhecidamente santos pela crença que defendemos, que nos colonizou, digo, catequizou. Ou será que a Igreja de Roma ainda nos catequiza?
Afinal quase todos os santos que veneramos são europeus, como se nossa gente não tivesse virtudes que a santificasse. Decididamente não somos um povo santo, ao menos para a Igreja de Pedro.
Posso ser excomungada, mas morro reclamando e defendendo o que acho correto. Foda-se quem não gostar.
A palavra Católica vem da palavra grega katholikos que significa universal, entretanto a cúpula da igreja de Pedro desconhece esse significado. Os fiéis estão em toda a parte, porém os santos e papas são europeus. Por que?? Será que alguém poderia me explicar tal situação?
Tem um cara que admiro imenso e que tem uma biografia do cacete e, com certeza seria um Papa pra europeu algum botar defeito, entretanto ele é brasileiro, mineiro de Juiz de Fora e Arcebispo emérito de Salvador, Dom Geraldo Majella. Ele é Cardeal e vai votar no próximo Concilio de Trento que com certeza escolherá outro europeu. Alguém quer apostar???
Esse posicionamento da Igreja só faz com que mais e mais católicos se convertam a outras religiões. Aqui no Brasil, o número de evangélicos tem crescido muito nas últimas décadas.E a tendência é aumentar cada vez mais. 
Ao menos os pastores dessas igrejas são brasileiros, falam nossa língua , entendem o que somos, o que sentimos e talvez até nos santifiquem.
Lamentavelmente nos permitimos ser catequizados até hoje por um povo de uma cultura totalmente diferente da nossa que nos trata como os índios encontrados aqui há 513 anos. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário