sábado, 8 de dezembro de 2012

Natal Parte Dois

Olá Pessoas!!!! Saudades d'ocês; nunca mais postei nada e, não por falta de tempo ou de assunto (isso nunca falta) e, sim por falta de tesão mesmo. Vixeeeee, detesto fazer algo sem vontade só por fazer ou pra agradar as pessoas. Sinceramente prefiro não fazê-lo. Mas vamos ao nosso post de hoje.
Dias atrás eu perguntei qual era a primeira coisa que vinha à cabeça quando se falava em Natal - a pergunta foi mais ou menos assim. Fiz o mesmo questionamento pros meus amigos e pros colegas de trabalho e as respostas foram as mais variadas: Papai Noel, rabanadas, panetones e, claro, não podiam faltar os presentes. Nem mesmo neve não faltou na listinha.
Vocês acreditam que eu sabia exatamente quais seriam as respostas antes mesmo de  fazer a pergunta? Juro pr'ocês!!!
Gentem!!! Natal é a data mais importante do calendário Cristão e, não por rabanadas, presentes ou Papai Noel; o verdadeiro sentido do Natal é o nascimento de Jesus e toda a sua emblemática. Ou seja, os exemplos, o significado que isso nos traz. Cristo representa humildade, perdão e, principalmente o amor ao próximo. 
E, sei que muitos me taxarão de piegas, demagoga e o caralho. A estes digo apenas isto: "FODAM-SE"!!!  Vai todo mundo se foder. Vão pra casa pra casa do cacete ou pra onde bem entenderem. Eu pouco me lixo pro que pensam ou falam de mim. Quem quiser me xingar tem que pegar uma senha e ir pro final da fila. Voltemos ao post.
Lembro que antigamente não tínhamos tanto acesso a bens duráveis, nem a tantas  informações. Meus filhos têm muito mais do que eu jamais pensei em ter. Entretanto éramos muito mais felizes. Tínhamos infância. Hoje meu pequeno tem aquele vídeo game metido a besta, mas quer o modelo novo, o mais avançado. Na minha época era feliz quem podia ter um Atari. Eu mesminha não me lembro de um desses lá em casa nem em sonho...
Vivemos em prol do ter. Mitos e mais mitos. Vemos nos comerciais de tv  jovens lindos com seus celulares de última geração compartilhando fotos com outros tantos jovens lindíssimos em paisagens exuberantes ou um cara lindo,  cercado por mulheres belíssimas num carro maravilhoso. Como se a felicidade dependesse da aquisição  do bem de consumo ou se aquele bem fosse torná-lo tão gostoso e atraente quanto o macho alfa em questão. 
Compramos muito mais do que aquilo que consumimos. E eu não sou diferente; apesar de me controlar muito, confesso que tenho muito mais sapato do que posso usar. Tenho pares e mais pares que jamais usei e outros que se usei muito foi uma vez, a Dry não me deixa mentir. 
Por mais que tenhamos sempre estamos insatisfeitos. Queremos sempre mais e mais e mais. Nunca estamos plenamente satisfeitos. E sabem porque? Porque nos tornamos cada vez mais pobres. Sofremos do pior tipo de pobreza que pode existir: a pobreza de espírito.

Ps: este post é dedicado a um grande amigo que reside na cidade do Rio de Janeiro, chamado Pedro Atayde.




Um comentário:

  1. Titia,
    Eu particularmente nao gosto da confraternização do Natal exatamente por isso: Lembram do papai noel mas esquece do aniversariante JESUS CRISTO e quando se fala em fazer uma oração em agradecimento a Deus por ter enviado Seu Filho, a maioria faz cara feia. Natal tem sido símbolo das diferenças sociais, onde o pobre procura no lixo o que o rico jogou fora da ceia...
    Concordo com você, o homem tem mudado os valores e o natal tem se tornado um comercio apenas.
    Bjks doces! E foda-se quem nao gostar da verdade.

    ResponderExcluir