terça-feira, 7 de agosto de 2012

Sobre Trabalho, Vendedores e Mal Atendimento

Olá Pessoas!!! Cheia de saudade com um tesão retado de escrever pr'ocês. Faltava-me tempo, pois mamãe foi passear esta semana e, além do meu trabalho, tenho os afazeres domésticos. Gentem!!! Realmente não é fácil ficar sem minha véia. Juro pr'ocês que mamãe é  melhor que qualquer marido que eu pudesse ter e morar com ela após a separação foi a melhor decisão que poderia ter tomado.
As pessoas não entendem e vivem me perguntando porque sou tão feliz.Explico:Porra, moro com as pessoas que mais amo no mundo (que são mamãe e meus filhotes); tenho um emprego bacana - amo o que faço e me dou super bem com meus colegas de trabalho e pra completar beijo na boca de quem eu quero. Resumindo:faço o que gosto!!!
E digo mais: tenho a obrigação de me fazer feliz, por isso garanto a vocês que se não me desse bem com mamãe, alugaria um apartamento e se não gostasse do meu trabalho, faria um curso, mudaria de profissão ou ia vender meu xibiu na esquina sem nenhum pingo de crise de consciência, mas fazer o que não gosto, meu bem, nunca, never, jamais, nunquinha da silva meeeeeeeeesmo!!! E não me venham pra cá com falsos moralismos, pois mando se foder na hora - detesto hipócrisia. Gente muita certinha me enoja!!!
Não entenderam nada, né? Tá bom vou contar minha história.
Moro em Itabuna e na minha cidade é uma raridade encontrar vendedor de loja atencioso e educado. Nem acredito que essa raça maldita viva de comissão.Não é possível!!! A coisa  é tão grave que  quando sou bem atendida em algum estabelecimento faço questão de ir à gerência falar bem do funcionário. Sério. Eles te atendem como se tivessem te fazendo um favor.
A minha mesa do pc tá um bagaço e a minha cadeira tá o ó do borogodó. Daí decidi me dar o desfrute de trocá-las antes que tenha que digitar no chão. Saí de casa agora à tarde com o firme propósito de comprar. Entrei nas Lojas Maia (Magazine Luiza) da Avenida do Cinquentenário. Gentem!!! Andei por toda a loja, circulei e não veio um vendedor nem pra me mandar pra porra. Acreditam?? E todos estavam desocupados flauteando, batendo papo. Juro pela minha mãe mortinha.
Saí da loja e segui um pouco mais adiante e entrei na Móveis Simonetti. A mesma cena: entrei, rodei a loja toda e nenhum vendedor sequer me parou pra mandar tomar naquele lugar. Me senti o cocô do cavalo do bandido. 
Entrei na terceira loja, Fenícia Móveis. Até que enfim veio um vendedor extremamente simpático que me vendeu uma cadeira belíssima e uma mesa de causar inveja.
Voltei pra casa mais feliz que pinto no lixo pelo ótimo negócio que fiz. Qual não foi minha surpresa ao abrir o portão e dar de cara com um tabloide das Móveis Simonetti!? Gentem!!! De que adianta gastar grana com publicidade e não investir no material humano?? Jogou dinheiro fora com o maldito panfleto!!!
E aos vendedores da minha cidade deixo o seguinte recado: Se não estão contentes com o emprego, se reciclem, mudem de profissão. Ou então vão vender xibiu na esquina ou cortar os pulsos com gillette!!! 


3 comentários:

  1. É também já acho uns assim,acha que a gente entrou porque gostamos de passear em lojas e não vem nem dizer bom dia!Fazer o que né ? Vão perder de vender !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem parece que ganham comissão. E ainda falam mal de funcionário público...
      Um xero negona e saudades. Vê se aparece!!!

      Excluir
  2. Nem parece que ganham comissão. E ainda falam mal de funcionário público...
    Um xero negona e saudades. Vê se aparece!!!

    ResponderExcluir