sexta-feira, 8 de junho de 2012

Querido Diário,
Hoje não é a blogueira, hoje não é a Titia que escreve. Na verdade, só estou escrevendo no blog por não ter mais meu diário. Então vou usar meu teclado como caneta e este espaço como páginas de um caderno e, a bem da verdade, este blog nada mais é que o diário de Aparecida Vasquez.
Hoje o dia se fez demasiadamente triste, demasiadamente cinza e, sinceramente a única cor que não gosto é o cinza, pois me remete a uma tristeza profunda, ao abismo. Sempre associei o cinza ao vazio, ao nada, a uma angústia inquietante e é isso o que sinto hoje - estou com a alma cinzenta.
Tempos atrás contei a história do meu primo que sofreu por amor, se entregou ao vício da bebida e acabou sendo desenganado pelos médicos. Bem, aconteceu - ele se foi esta madrugada e, apesar de estarmos esperando a notícia, a gente nunca está verdadeiramente preparado, parece  que vai acontecer um milagre e mudar tudo no último instante. 
Costumo dizer que nossas escolhas determinam tudo na nossa vida. Somos responsáveis por nós mesmos e seguimos o caminho que escolhemos ou que escolhem pra nós. A escolha do meu primo acabou determinando este fim tão triste e tão prematuro que tanta dor causa a uma família inteira.
Meu Deus um sentimento que leva à morte, ao vício não é amor. O amor não é isso; o amor é leve e só traz o bem. Se tem sofrimento na história com certeza o amor passou longe. 
A dor é tão forte que aperta o meu peito e parece que vai esmagar minha alma inteira. O pior é que não choro. Dá pra acreditar? Sou chorona por natureza, mas quando uma dor enorme destas me atinge, não derramo uma única lágrima. E dói tanto. Foi assim quando papai se foi ; fui a única a não derramar uma lágrima, não soltar um grito e não dizer uma palavra. E a dor não passou até hoje, ameniza, mas está lá quieta.
A morte é a única certeza que temos a vida toda, desde que nascemos. Ninguém sabe o que lhe acontecerá amanhã, no entanto todos sabemos que vamos morrer. Mas passamos a vida inteira tentando fugir desta ideia. E quando nos deparamos com o fim, é terrível.Uma angústia inquietantemente dolorida. Ai.

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Titia aceita os meus mais sentidos pesames....

      Pedro

      Excluir
  2. Boa tarde minha flor baiana.
    Sou péssima nesses momentos,
    mas se ue estive ai, lhe daria
    um Abraço bem forte e te confortaria.
    Sabe, não tenho medo da morte, mas
    doi quando acontece com um alguem querido.
    Olha, chorar não irá traze-lo de volta,
    mas lembrar dos momentos que juntos voces
    tiveram e que se amaram é muito reconfortante!
    Deixe que sua alma sinta esta morte como um
    renascimento, pois ele estará livre das dores
    e dos vicios. Agora, sim ele será feliz!
    Acredito que~morremos para essa vida, mas
    vivemos em DEUS, em outras vidas...Lembre-se
    dele sempre com carinho e nos melhores momentos.
    Espero que seu coraçãozinho, tão puro,com essa
    declaração em teu post., possa se acalmar.
    Linda, deixo aqui minhas sinceras palavras de
    consolo, carinho e amor...Ele te Amodorou
    enquanto ao teu lado, acredite.Bjinhos carinhosos
    e fique bem. Fique com DEUS, pois ele ja esta lá...

    ResponderExcluir
  3. Meus sinceros sentimentos a você amiga.Deus lhe força nessa hora.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei sabendo somente hoje que li o blog !
    Que Deus conforte todos vocês da família!
    Que triste mesmo ele ter ido sofrendo assim viu! A gente fica em paz quando uma pessoa querida parte de forma natural,mas,sabendo que ele se foi dessa maneira é doloroso ! A família precisa de muito,muito conforto que vêm de Deus !

    ResponderExcluir
  5. Obrigada a Pedro, Simone, Arnoldo e Adryelle pelas palavras de carinho. Dry vc teve comigo ontem, antes de ir pra graduação do Alê e eu esqueci de te falar. Ele morava no sertão da Bahia. Nas férias de julho irei ficar uns dias lá com tia Joana,sua mãe.
    O que seria de mim sem a família na qual nasci e a família que a vida me deu que são meus amigos.
    Um xero a todos vocês.

    ResponderExcluir