quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Exemplos e mais exemplos...

Olá Gentem!!!! Esta semana vivi duas  circunstâncias distintas que me fizeram, cada uma de diferente maneira, tirar um aprendizado. Vou relatar e verão dois exemplos de comportamentos humanos. O primeiro aconteceu no meu setor de trabalho; atendi um cidadão que estava com seu filho de dois anos mais ou menos no colo. Gentem!!! Adoro criança, mas quem tiver seus filhos mal educados, esconda-os da Titia, porque ninguém merece... Esse menininho era terrível, não parava quieto. Ora pegava minha caneta, ora tentava puxar os fios do computador da minha mesa - quase não deixou fazer o meu serviço e, por muito pouco, não perdi a paciência. Em algum momento, o pai deu um suco para o pirralho ( desses de caixinha ). Terminei o atendimento e eles se foram. Gentem!!! Quando levantei os olhos da tela, o que vejo bem na minha frente, em cima da minha mesa? A caixinha de suco vazia ( isso mesmo ). Pode?  Que tipo de educação aquela criatura nefasta pode dar a uma criança? Que modelo de cidadania aquele pequeno terá? Uma pessoa que deixa uma caixinha de suco vazia em cima da mesa de atendimento... imagine quanto de lixo não joga nas ruas... Não quero nem pensar em outros tipos de exemplos que esse menino terá no decorrer de sua infância. Vocês podem estar pensando: nooooooosssssa como essa Titia é dramática, parece atriz de novela mexicana!!! Não é isso. Os bebês de hoje serão os homens de amanhã e criança aprende o que lhe é ensinado. Imagine um milhão de adultos mal educados... Despejando seus dejetos por aí. Já pensou?
Vamos ao outro fato que ocorreu há poucas horas atrás. Estava vindo com um colega de trabalho para casa e, quando ele abriu o seu portão, uma vizinha o chamou e entregou-lhe uma penca de chaves. Eram as chaves que sua esposa esquecera pendurada do lado de fora. Um desconhecido passou, viu, recolheu e entregou à senhora que mora na casa em frente. Gentem!!! Nooooooossaaa!!! Essa pessoa poderia seguir seu caminho e deixar aquelas chaves ali, afinal nem conhecia o morador da casa, mas preferiu agir de modo correto. Isso chama-se  solidariedade, em algum momento colocar-se no lugar do outro e fazer o que gostaríamos que fizessem conosco. Quantas vezes temos a oportunidade de sermos solidários, mas optamos por olhar nosso próprio umbigo? Hum? Omissão. Muitas vezes e na maioria delas, estamos tão atados às amarras de nossos próprios problemas que vemos uma penca de chaves pendurada numa porta e passamos batidos, pois sabemos que aquilo não nos diz respeito, quando poderíamos fazer a coisa certa.
Esta pessoa, além de devolver as chaves do meu colega, me deu a alegria de lembrar que existem pessoas bacanas no mundo. É sempre assim quando o ruim aparece, sempre vem o bom, mostrar que nem tudo está perdido. 
Sigamos os bons.

Um xero da Titia

2 comentários:

  1. Nossa,isso hoje em dia está acabando !Que exemplo!

    ResponderExcluir
  2. Pois é amiga, solidariedade anda meno fora de moda. Sigamos o exemplo deste cidadão de bem.
    Xero da Titia

    ResponderExcluir