quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A História de Uma Pimenteirinha

A minha historinha já começou me dando um pouco de dor de cabeça - uma dor de cabeça do bem, é verdade.Então,meu dilema, digo minha dor de cabeça era a seguinte; que título dar à historinha de uma pimenteira? Depois de alguns bem infelizes, tipo " A Pimenteira e Eu " ( ridícuuuuulo!!!!), o branco se fez total na cabeça da Titia ( meu Deus não me refiro aos cabelos, pois ainda não os tenho ) e o título supra citado incorporou-se perfeitamente à vida do nosso personagem central, a Pimenteirinha.
É uma história bacana tirada de umas das experiências mais terríveis que tive na vida, acreditem, entretanto é justamente desses momentos que tiramos as maiores lições. Basta ter um pouco de paciência.
Há algum tempo atrás um tio meu muito querido, pessoa boa, de um senso de humor inigualável foi assassinado da maneira mais cruel que se possa imaginar e, fui com meu primo e mais alguns parentes ao local onde ocorreu o bárbaro crime -
a fazenda onde ele morava. Foi um dia horrível!!! Lembro perfeitamente da dificuldade, da inquietude, do medo e, sobretudo da angústia que vivi naquele dia. A vontade que eu tinha era de sair correndo, fugir desnorteada para qualquer lugar bem distante dali e daquela realidade monstruosa. Porém, não podia.Tinha mais era que ficar e ser solidária com mamãe, meus primos e o restante dos parentes que estavam ali. Nessas horas a  família tem que permanecer unida. E foi o que fiz; Fiquei. Acabada,anestesiada de tanta dor, mas firme como uma rocha. Por trás dos óculos escuros, o meu olhar estava devastado pela tristeza. Estava perplexa, porque jamais imaginei que a violência fosse aportar no seio da minha família de forma tão abrupta e definitiva, pois o meu tio não voltaria nunca mais.Afinal as tragédias só acontecem com os outros, ao menos é assim que costumamos pensar e, de fato, não o é...A realidade é bem diferente, no mundo real costuma ser bem mais dolorido que na televisão. Lá a reportagem dura poucos minutos, enquanto que na vida ela permanece para sempre. E não tem com desligar ou trocar o canal.
Aquela quarta-feira não passava, um dia quente e abafado e, era tanta gente: curiosos,polícia técnica, amigos, parentes e mais curiosos e aquela cena toda me sufocando de uma forma devastadora - eu mal conseguia respirar. Então, decidi dar uma volta ao redor da casa onde meu tio passou quase que toda a sua vida. Naquela casa, os meus primos foram criados, até cada um tomar o rumo de sua vida. Mil coisas passavam por minha cabeça e, em meio a um turbilhão de sentimentos e pensamentos ruins foi que a vi ali parada,quieta, presenciando tudo. Por um momento esqueci a dor e passei  a imaginar  há quanto tempo o meu tio a teria plantado, no que ele pensou naquele momento em que colocou a pequena muda naquele lugar onde eu estava. Não quis deixá-la e pedi a um trabalhador para colocar a pequena muda em um saco com um pouco de terra, a fim de que eu pudessa replantá-la depois. E, assim foi feito.
Cheguei em casa e a deixei num canto da área de serviço. Esqueci a plantinha, pois tinha que ajudar meu primo com a liberação do corpo, velório, enfim para que o meu tio tivesse um enterro digno,já que sua morte foi tão horrorosa...
Mamãe e eu ficamos ainda alguns dias com minha tia. Voltei para casa e nem lembrava mais da mudinha, até que a vi toda seca, murcha. Ainda assim resolvi plantá-la, era a herança do meu tio. Confesso que não pensei que a pobrezinha fosse sobreviver, mas para meu espanto ela deu brotos , galhos e pimentas que temperaram muitas moquecas. Um dia, lógico, ela morreu.Mas me passou a lição de superação, porque passou por uma quase morte, sobreviveu e conseguiu dar frutos.
Hoje na televisão vi a história do cãozinho que foi enterrado pelo dono e ficou 12 horas embaixo da terra, foi salvo por um milagre e, provavelmente ficará cego, daí lembrei da minha pimenteirinha e resolvi falar para vocês que é tão importante termos confiança em nós mesmos, lutar sempre, não desistir, por mais que estejamos desanimados. Acreditem, não estou dizendo isso da boca pra fora quem me conhece sabe que o meu nome do meio é teimosia e, é essa teimosia que me impulsiona à vida, não desisto nunca. É difícil, porque encontramos muita gente no caminho que querem nos jogar pra baixo, mas se um cãozinho e uma pimenteira podem superar, por que não nós?
Vamos aprender a superar nossas dificuldades. Vamos sair quebrados de relacionamentos e de situações, mas vamos levantar a poeira, juntar os cacos, reciclar e seguir em frente e, se alguém disser que a Titia está sendo demagoga, meu benhê, mande este infeliz pros quintos dos infernos ou, se preferir, mande-o tomar onde ele quiser...
Acredite sempre em você. Seus sonhos podem ser bobos, mas são os seus sonhos e, isso os faz incríveis. A vida é boa, é gostosa e cheia de oportunidades. As coisas ruins também faz parte, mas somos fortes e porretas para passar por cima dessas situações. Entendidos?

Um xero da Titia

Nenhum comentário:

Postar um comentário