quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Nada Mais

Um dia
você saiu do meu lado,
desfez o encanto 
do tênue laço
que prendia o teu eu 
no meu abraço.
Seguiu por um rumo
de um novo caminho
uma outra direção.
Se foi
em busca de sonhos
que não eram os meus.
Fiquei ali, 
inerte.
Perdida na solidão
perambulando no nada,
enquanto o tempo corria
veloz e impiedoso.
O mundo girava e girava
sem se dar conta 
do meu sofrimento
e não parou
para secar o meu pranto,
curar o meu luto
e me livrar da dor.
Hoje sigo meu rumo
bem diferente
do rumo que outrora
a gente sonhou. 
Do passado restaram
poucas lembranças,
algum ressentimento,
talvez o vazio
e nada mais.







En
ulando no nada

Nenhum comentário:

Postar um comentário